O dia em que conheci Seul – Coréia do Sul

Uma cidade que impressiona pela organização, mas principalmente, pelo seu povo.

 

Olá, viajante!

 

Para quem não me conhece, sou irmã da Andréia Colombo e colaboro com a Sulmix Viagens nas áreas administrativas e de comunicação há, pelo menos, 5 meses. Moro na China há 5 anos e, apesar da distância, tudo hoje em dia, com um pouco de estratégia e tecnologia, da para ser feito pela internet.

 

E é dessa forma que irei contribuir com o blog Experimente o Mundo trazendo um pouco aqui da Ásia. Vou começar falando da oportunidade em que visitei a Coréia do Sul, conhecendo a capital Seul.

 

Permaneci lá durante 4 dias e 3 noites. Conheci muita coisa e fiquei extremamente impressionada com a cidade, sua organização, limpeza e educação do povo. Mesmo não estando na sua lista de desejos de viagem, Seul vale cada centavo investido. É uma cidade realmente incrível. Tanto, que não vou conseguir contar tudo em um só post, vou logo avisando… (risos).

 

Fiquei hospedada na zona de Gangnam, tida como a mais cool da cidade. O que tem de cafeterias e cantinhos charmosos realmente não tem preço. A escolha foi acertada e recomendo.

 

O transporte público é considerado um dos melhores do mundo e a cidade inteira é atendida por um sistema de metrô incomparável. Para os mais aventureiros o deslocamento pode custar muito pouco. Confesso que optei pelo táxi, mas vi uma população muito bem servida nesse quesito. Na foto abaixo, um exemplo de como um sul-coreano pode estar conectado com o mundo. (Piada, né?) Não pude acreditar quando me deparei com tamanha distração para o motorista. Acho que esse nunca ouviu falar do “não fale com o motorista” ou “ao dirigir, não use o celular”.

O que ver é o que mais nos perguntamos quando fazemos as malas. Apesar da Zona Desmilitarizada (DMZ) ser um ponto turístico muito visitado, não me ative de ir ver a região de fronteira entre as Coreias do Sul e do Norte em função do tempo versus o que eu tinha mais vontade de conhecer.

 

Vou trazer nesse post a visita ao Palácio Gyeongbokgung, construído em 1394. O maior e mais antigo da cidade. O lugar é um grande complexo repleto de pavilhões, jardins e casas típicas com cantinhos a serem explorados. Você não consegue visitar em menos de uma hora. Fiquei lá por quase três. Ao total, Seul tem 5 palácios, mas se tiver que escolher entre eles, sem dúvida, que seja esse.

Mapa Palácio Gyeongbokgung
Mapa do complexo visitado
O grande portão Gwanghwamun
O grande portão Gwanghwamun
Sala do Trono
Sala do Trono
Trono simplificado do rei
Trono simplificado do rei
Detalhes (Sala do Trono)
Detalhes (Sala do Trono)
Detalhes (Sala do Trono)
Detalhes (Sala do Trono)
Detalhe lateral do Hall Real do Banquete
Detalhe lateral do Hall Real de Banquete
Gyeonghoeru, o Hall Real de Banquete
Gyeonghoeru, o Hall Real de Banquete
Museu Nacional do Folclore
Museu Nacional do Folclore
Euzinha, enquanto registrava os detalhes de uma barbearia na área externa do museu.
Euzinha, enquanto registrava os detalhes de uma barbearia na área externa do museu.
Jardins internos
Jardins internos
Jardins internos
Jardins internos
Detalhes da impressionante arquitetura do local
Detalhes da impressionante arquitetura do local

 

Até a próxima trip!

Angélica Colombo – Jornalista e apaixonada pelo mundo
Publicado em 29 de março de 2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *